OUÇA: RÁDIO PULSAR - PITANGA PR

............................................................................................................................................................ Web Rádio Pulsar, a Rádio que Pulsa no Coração do Paraná.






quarta-feira, 10 de julho de 2024

BOLETIM SEMANAL DA DENGUE REGISTRA 13.306 NOVOS CASOS E 15 ÓBITOS NO PARANÁ.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nesta terça-feira (9) o mais recente boletim epidemiológico semanal da dengue.

O estado do Paraná registrou 13.811 novas notificações, 18.306 novos casos da doença e 15 óbitos adicionais.

Desde o início do período sazonal, em 30 de julho de 2023, o estado contabiliza 912.908 notificações, 565.657 casos e 526 mortes em decorrência da dengue.
Os 15 novos óbitos ocorreram entre 15 de fevereiro e 4 de junho e envolveram seis homens e nove mulheres com idades entre 37 e 91 anos.

As mortes foram registradas nos seguintes municípios: Sulina (1), Foz do Iguaçu (2), Serranópolis do Iguaçu (1), Janiópolis (1), Santa Isabel do Ivaí (1), Arapongas (4), São Pedro do Ivaí (1), Jaguapitã (1), Londrina (1), Cornélio Procópio (1) e Ivaiporã (1).
A Regional de Saúde (RS) de Londrina lidera o número de casos confirmados em números absolutos, com 74.114 diagnósticos.

Em seguida, estão a 10ª RS de Cascavel, com 65.946, e Francisco Beltrão, com 60.636.
Em termos de óbitos, a Regional de Saúde de Londrina também registra o maior número, com 95 mortes, seguida pela Regional de Cascavel, com 75 mortes, e Francisco Beltrão, com 71.
Zika e Chikungunya:
O boletim também trouxe informações sobre chikungunya e zika, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Neste período, foram registrados 12 novos casos de chikungunya, somando 189 confirmações e 1.906 notificações da doença no estado.

Não houve casos confirmados de zika vírus, mas o boletim registra 143 notificações no Paraná.
As autoridades de saúde continuam a monitorar a situação e a reforçar as medidas de prevenção para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

A população é incentivada a colaborar eliminando possíveis criadouros e mantendo-se vigilante aos sintomas das doenças.
Redação/Maria Eduarda Farias

Com/Ag. Estadual de Notícias

Sem comentários:

Enviar um comentário