quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

37 CRIANÇAS RECEBEM VACINA DA COVID ERRADA EM PRIMEIRO DE MAIO, NO NORTE DO PR

Um total de 37 crianças de 5 anos receberam doses erradas da vacina contra a Covid-19 em no município de Primeiro de Maio, localizado no norte do Paraná, a 60 quilômetros de Londrina.

Estas crianças deveriam ter recebido doses da vacina Pfizer. Porém, foram imunizadas com o imunizante da Coronavac.

Conforme o indicação do Ministério da Saúde e autorizaçãoda Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), crianças de 5 anos deve ser vacinadas exclusivamente com a Pfizer pediátrica. A Coronavac pediátrica é autorizada somente para crianças a partir dos 6 anos.

As aplicações ocorreram no último dia 11 de fevereiro. O referido erro foi apenas percebido no dia 18 de fevereiro, e nesta data a Secretaria Municipal de Saúde do município informou a 17.ª Regional de Saúde do Paraná.

Desde então, as 37 crianças passaram a ser monitoradas.

Até o momento as crianças não apresentaram, nenhuma reação adversa. Elas permanecerão em monitoramento até completar um período de 30 dias de observação.

Providências - Além de monitorar as crianças, a prefeitura de Primeiro de Maio informou que afastou três servidores municipais que teriam atuado diretamente nas aplicações erradas. Também disse que já abriu processo administrativo para apurar responsabilidades.

O município já imunizou 430 crianças, o que corresponde a 50% da população vacinável na faixa dos 5 aos 11 anos.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) enviou nota sobre o caso e relatou que a cidade recebeu notificação.

Confira na íntegra:

“A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informa que o município de Primeiro de Maio aplicou 37 doses pediátricas de CoronaVac em crianças de 5 anos no dia 11 de fevereiro, reportando a situação para a 17ª Regional de Saúde de Londrina no dia 18 de fevereiro.

O caso é considerado como erro de imunização visto que este fabricante possui, neste momento, liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação em crianças com 6 anos ou mais.

O município informou que abrirá processo administrativo para apurar a responsabilidade.

A cidade foi notificada pela Sesa e monitora, junto com o Estado, qualquer possível reação adversa que as crianças possam apresentar no período de 30 dias.

Todos que receberam a dose pediátrica do Instituto Butantan estão bem e sem intercorrências.

Ressaltando que a secretaria distribui os imunizantes enviados pelo Ministério da Saúde, mas quem aplica as doses são os municípios.

A pasta acompanha todos os eventos adversos pós vacinação e erros de imunização, os quais devem ser notificados, no sistema de informação eSUS Notifica, conforme legislação vigente".

 Fonte: RIC Mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário