sexta-feira, 19 de novembro de 2021

Após passar por complicações da covid 19 o ator Luciano Szafir volta às passarelas e desfila na São Paulo Fashion Week com bolsa de colostomia

O ator, empresário e modelo Luciano Szafir desfilou nesta quinta-feira na 52ª edição do São Paulo Fashion Week (SPFW) com uma bolsa de estomia, também conhecida como bolsa de colostomia, que passou a usar há quatro meses, após complicações da Covid-19. Na semana em que é celebrado o Dia Nacional das Pessoas com Estomia, em 16/11, o ator tinha o propósito de chamar atenção para a causa.

Szafir pediu ao estilista Walério Araújo para usar uma roupa que deixasse a bolsa visível, como forma de combate ao preconceito contra quem tem um estoma.  

— Quero que as pessoas possam ver que isso pode acontecer com qualquer um. Essa cirurgia salvou a minha vida e eu não tenho motivo para ter vergonha de usar uma bolsa de estomia — afirma.  

O ator foi contaminado um dia antes de receber a vacina contra a Covid-19, de acordo com sua faixa etária. Em fevereiro, ele já havia tido a doença, mas com sintomas leves. Na segunda vez, o ator teve uma reação mais agressiva, com febre persistente. Ficou internado, foi intubado e passou por duas cirurgias — uma delas para a retirada de um hematoma no intestino. Na ocasião, ele passou a usar a bolsa. 

— Depois de tantos anos, este desfile tinha tudo para ser muito especial para mim. Além da minha volta às passarelas, vi que era a oportunidade perfeita para defender uma causa nobre e muito importante para a nossa sociedade. Quero quebrar o preconceito, normalizar e fazer entender que um estomizado não precisa sofrer privações. Vida normal — afirmou. 

O ator conta que, até fazer a cirurgia, não tinha noção deste universo. Segundo ele, uma das dificuldades da vida de quem usa a bolsa é o uso de banheiros públicos.  

— Banheiros públicos para quem usa bolsa é algo urgente. Eles têm que ser projetados de modo que o esvaziamento seja feito de forma higiênica e confortável. Por que é tão difícil isso virar lei em todo o Brasil? — questiona. 

Ele afirma ainda que ainda há muitas atitudes preconceituosas contra as pessoas, como na hora de contratar um funcionário ou se relacionar afetivamente, por exemplo.  

— No início, tive medo e um pouco de dificuldade, algo normal diante do novo. Mas tudo é uma questão de adaptação e logo isso virou rotina. Não deixei de fazer nada por causa da bolsa. Voltei à vida normal e a proposta é justamente mostrar que a bolsa não define ninguém.

Estomia é a abertura de um órgão ou víscera para o meio externo, após cirurgia no sistema digestivo, urinário ou respiratório. A designação do tipo de estomia é definida pelo tipo de órgão ou víscera que será exposto, por isso colostomia, que vem do cólon. A  estomia pode ser temporária (após um tempo pré-determinado é fechada por meio de nova intervenção cirúrgica) ou definitivas e a pessoa conviverá com ela durante sua vida.

Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário