🔴 RÁDIO PULSAR - SUA RÁDIO CATÓLICA NO CENTRO DO PARANÁ

quinta-feira, 20 de maio de 2021

PARANÁ - “Não tem mais o que fazer”, diz diretor clínico do Hospital São Vicente de Guarapuava

O filho que morreu deu lugar à mãe na UTI da covid-19 no Hospital São Vicente em Guarapuava. 

Nessa mesma unidade, outro filho, intubado, com gestos pergunta da mãe que já não está mais aqui. 

Em outra sala, a equipe se prepara para contar aos familiares que uma jovem de 22 anos, grávida, encontra-se em estado crítico. 

Entretanto, estas são apenas três de centenas de histórias que permeiam a ‘sala vermelha’ da covid-19 no hospital filantrópico. 

De acordo com a provedoria até ontem (19) a UTI tinha 18 pacientes, quando a capacidade é oito. 

Outros cinco, em estado grave, aguardavam leitos e recebiam atendimento no Pronto Socorro. 

Enquanto a enfermaria e apartamentos somavam 27 pacientes. 

Todavia, o que chama a atenção é que a UTI está com 180% da lotação ocupada. 

Entretanto, para quem não está nos bastidores da doença, há um ano e dois meses, fica difícil dimensionar a gravidade do quadro. 

E é nesse sentido que o diretor clínico do São Vicente, Eduardo Borges, clama pela colaboração da população. 

“Não tem mais o que fazer. A situação é dramática, pois há alguns dias o nosso sistema de saúde chegou à capacidade máxima.” 

Conforme Borges, se continuar nessa escalada há o risco de não ter mais como atender. 

“Não temos espaço e nem mais equipes”. 

CADA VEZ MAIS JOVENS Conforme Eduardo Borges a UTI está recebendo cada vez mais pessoas jovens. 

“São pessoas entre 20 e 25 anos. E nas duas últimas semanas também recebemos gestantes jovens com risco de morte da mãe e do bebê”. 

Assim, o médico pede que as pessoas usem máscara, higienizem as mãos com álcool gel e façam o distanciamento social. 

De acordo com médica intensivista Fernanda Ziger Borges, se faz necessário que as pessoas acreditem na doença. 

“Ela [a doença] existe, não é mentira. 

Está entre nós e mata. E as coisas só podem melhorar se a população colaborar.” 

DA REDAÇÃO/ MARIA FARIAS

Fonte: RSN

Nenhum comentário:

Postar um comentário