terça-feira, 11 de maio de 2021

CASO GAEL - Polícia prende mãe de criança de 3 anos que morreu após ser encontrada ferida em apartamento em SP

A Polícia Civil prendeu na madrugada desta terça-feira (11) a mãe de Gael de Freitas Nunes, de 3 anos, que morreu após ter sido encontrado com ferimentos no apartamento da família na Bela Vista, no Centro de São Paulo.

A mulher, de 37 anos, prestou depoimento na 1º Delegacia de Defesa da Mulher, no Cambuci, por volta da meia-noite, e às 5h30 foi levada para o 89ºDP, no Portal do Morumbi, que tem uma carceragem feminina. 

O teor do depoimento não foi divulgado.

De acordo com a polícia, a mulher é suspeita de ter cometido as agressões que levaram à morte do menino na manhã desta segunda-feira (10). 

O menino foi levado à Santa Casa de São Paulo, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo informações do Boletim de Ocorrência (BO), o menino foi encontrado desacordado na cozinha pela tia-avó; a mãe estava com ele. A criança morava com a mãe, com a tia-avó e a irmã de 13 anos.

O menino estava em parada cardiorrespiratória quando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou ao apartamento e o levou ao hospital enquanto tentava reanimá-lo. No local, foi constatada a morte da criança.

A Polícia Militar, que foi acionada pelo Samu, informou que a mãe teria passado por um surto psicótico. 

Ela foi encaminhada até o Hospital do Mandaqui, na Zona Norte, para ser medicada, na manhã de segunda-feira.

Depoimento da tia-avó à polícia

No boletim de ocorrência, a tia-avó informou que deu mamadeira para a criança por volta das 7h e as duas ficaram na sala assistindo à televisão. 

Após alguns minutos, o garoto foi até a cozinha. A tia-avó disse que começou a ouvir choros, mas achou que ele estava apenas pedindo colo para a mãe.

Cerca de cinco minutos depois, começou a ouvir barulhos fortes de batidas na parede e acreditou que viriam de outro apartamento. 

Após dez minutos, ela passou a ouvir o barulho de vidro quebrando na cozinha e, quando chegou ao cômodo, a criança estava deitada no chão com vômito e coberta por uma toalha de mesa.

A testemunha conta que perguntou à mãe o que teria acontecido, mas ela não respondeu. 

A tia-avó pediu ajuda da irmã do menino, que ligou para o Samu. 

Após a chegada dos socorristas, a criança foi levada até a Santa Casa em parada cardiorrespiratória, mas morreu no hospital.

Ainda segundo a tia-avó, a mãe do garoto já foi internada outras vezes. A tia não soube dizer, no entanto, se as internações foram por motivos psiquiátricos.

O tio de Gael, Reumir Freitas, também tenta entender o que teria ocorrido no apartamento.

“Talvez um descontrole emocional, talvez um surto, então fica para os médicos, para profissionais do processo apuraram qual a verdade”, disse.

Mãe não respondia a perguntas de médico

O médico do Samu que fez o atendimento da criança no local, Washington Canedo, contou que tentou falar com a mãe de Gael para saber o que tinha acontecido, mas ela também não respondeu.

"A mãe, o tempo inteiro, encontrava-se na cozinha. Nossa equipe tentou diversas vezes coletar informação, mas acho que devido ao trauma, ao choque, à situação toda, ela não estava responsiva. Quem nos dava informação era somente a avó e a irmã menor de idade", afirmou na noite de segunda-feira.

Em nota, a Santa Casa de São Paulo informou que a criança chegou ao hospital "em processo de reanimação pela equipe do SAMU e permaneceu em reanimação pela equipe médica do hospital, sendo constatado óbito na sequência".

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo disse que a mãe foi encontrada em estado de choque e levada para um hospital psiquiátrico após o menino ser socorrido.

DA REDAÇÃO/ MARIA FARIAS

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário