segunda-feira, 26 de abril de 2021

Idosa é alfabetizada assistindo às aulas online do neto

 Quantas oportunidades deixamos passar quando somos jovens, simplesmente por não dar valor ou viver aquele ilusão de que nunca vamos precisar quantas vezes pensamos assim na nossa adolescência, onde o vontade de curtir a vida sem precisar preocupar-se com o amanhã.

Algumas pessoas acabam deixando sonhos, perdendo oportunidades por diversos fatores, mas nunca deixam de sonhar.

Diante de toda esta situação em que vivemos, até mesmo para as nossas crianças está difícil, onde educação no Brasil é uma das partes mais prejudicadas nesta época de pandemia, pois de uma lado são os professores que precisam ter jogo de cintura para poderem dar conta de tantas realidades distintas em uma única turma, do outro estão os pais que precisam adaptar o seu tempo para poderem auxiliar os seus filhos, mesmo que em muitas vezes eles não tem o conhecimento  necessário para auxiliar os filhos, pois em muitos casos os pais mal conseguiram aprender a ler e a escrever e em outros nem isso. 

Em meio todos este turbilhão vemos histórias emocionantes e cativante houve quem viu nessa situação uma oportunidade valiosa.

Dona Marlene: O gato gosta da gata, já o pato gosta da pata. Será que eu li certo?
"Leu sim, dona Marlene", respondeu a repórter do G1 durante a entrevista com uma idosa que viu nas aulas virtuais do neto de sete anos uma oportunidade de realizar o sonho de aprender a ler e a escrever.

Cada frase é uma conquista. "Ter 63 anos, aprender a ler e a escrever, vocês pensam que é fácil?", indagou a idosa.

A infância foi na roça. Precisava ajudar os pais, e a escola ficou para trás.

“Eles achavam que a gente só tinha que aprender a trabalhar na roça, porque eles não sabiam ler e escrever. Então eles achavam que não precisava a gente aprender”, contou a aposentada Marlene Hinckel.

Por mais de seis décadas, as letras não faziam sentido para a Dona Marlene.

“É muito ruim. Você chega no mercado, vai comprar as coisas e não sabe o que que é, porque tem o nome e não sabe ler”, lamentou.


Essa história começou a mudar por causa da pandemia, quando o neto Eduardo, de 7 anos, passou a ter aulas online em casa. Isso mexeu com a curiosidade da avó, que decidiu que estava na hora de recuperar o tempo perdido. E, assim, Eduardo ganhou uma nova e dedicada colega de classe.


Enquanto via o neto Eduardo, de 7 anos,  assistindo as aulas online em casa, esta nova realidade mexeu com a curiosidade da avó, que decidiu que estava na hora de recuperar o tempo perdido. E, assim, Eduardo ganhou uma nova e dedicada colega de classe.


A disposição da veterana da turma encantou a professora: “Eu fiquei muito emocionada, eu fiquei muito surpresa. Eu realmente não esperava que eu fosse conseguir ajudar assim alguém dessa maneira, sem nem estar esperando, sem nem imaginar”, disse a professora Caroline Floriano.

No papel, Dona Marlene ensaia as primeiras linhas de quem teve a coragem de escrever a própria história. Um caminho longo, mas ela está em boa companhia.


E você o que está esperando para correr atrás do seus sonhos, qual a desculpa está achando para dizer que não vai dar certo.

viva, sonhe lute vá atrás dos seus objetivo e nunca deixe de sonhar e realizar.


Informações: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário