🔴 OUVIR PULSAR FM (CLIQUE PLAY)

segunda-feira, 22 de março de 2021

PARANÁ - Mulher de 30 anos e com bebê recém-nascido morre de Covid em Campo Mourão

Rakleine Belinato Silvério, de apenas 30 anos de idade, é a 128ª vítima do coronavírus (Covid-19), em Campo Mourão.

Ela morreu por complicação do vírus na madrugada desta segunda-feira (22). 

Uma nota informando o óbito foi divulgado pela Santa Casa, onde ela estava internada desde o dia 9 deste mês. 

O mais triste ainda é que Rakleine deixou um bebê recém-nascido. 

A criança tem apenas algumas semanas de vida. Segundo informações, ela sequer conseguiu conhecer o filho. 

O esposo dela também testou positivo para Covid, mas já está em casa. Recuperado. “Meu amor virou uma estrela. 

Deus a quis perto dele e quem sou eu para não deixar. 

A dor é imensa, mas agora ela está nos braços no pai. 

Senhor peço força e agradeço todas as orações e demonstrações de carinho”, falou a mãe de Rakleine, a funcionária pública Ester Belinato, ao lamentar a morte da filha nas redes sociais. 

São várias as mensagens de amigos e familiares em homenagem a Rakleine. 

Recentemente, a mãe de Rakleine divulgou um comunicado, alertando que pessoas má intencionadas estavam usando o nome da filha para fazer pedidos de doações. 

“Não estamos precisando do tipo de doação deste mês, às 20h29, ela fez uma publicação em sua rede social, denominada “carta aberta para meu futuro filho”. 

Disse o seguinte na publicação: “Filho você ainda nem chegou, mas seu nome nas minhas orações não faltou. 

Te detalhei para Deus, e suspeito que ele está te preparando além do jeitinho que tanto pedi (ele sempre fez assim). 

Além de você, sei que Ele está preparando o nosso encontro. E eu oro para que seja logo, mas confio na data que por Ele já foi escolhida. 

Meus olhos enchem de lágrimas quando falo de você, e imagino a gente junto. 

Você é a ansiedade que pulsava meu coração, mas que Deus sempre disse a minha alma: ‘O tempo é meu, eu não falho e você só precisa ter calma’”, disse ela. 

E continuou: “para o seu futuro não prometo muito, mas tenho convicção que continuará o costume que antes de você nascer eu já tinha: cobrir de orações a sua vida. 

Daqui há um tempo, estaremos juntos, na mesma casa, com encontros marcados algumas madrugadas, e o que muitos acreditam ser um fardo, eu vou ter a certeza que é um recado do céu para mim. 

E nesses dias vou lembrar das vezes que orei de madrugada e confiei no silêncio de Deus. 

E via em seu silêncio o seu carinho, dizendo: ‘é impossível para muitos, mas para mim os seus sonhos são possíveis’”, concluiu

Fonte: Tribuna do Interior

DA REDAÇÃO/ MARIA FARIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário