quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

PARANÁ - Policiais Militares atendem ocorrência de um bebe recém-nascido o qual estava totalmente sem cuidados

Em um berço estava o bebe de 6 dias de vida, o qual estava totalmente sem cuidados, pois a mãe não encontra-se em condições de cuidar da criança causando certa preocupação na equipe.

O fato ocorreu na cidade de Prudentópolis, onde a equipe de Polícia Militar deslocou até o referido endereço para dar atendimento a uma violência domestica, onde segundo informações repassadas para o 190, uma mulher de dieta estaria sendo agredida por seu amásio.

No local foi feito contato com o casal, sendo que a Sra. de 35 anos negou ter sido agredida por seu amásio de 24 anos.

No entanto, durante a conversa foi possível perceber que a mesma estava com problemas psicológicos, pois estava confusa e com conversas desconexas, sendo então conversado com um jovem de 15 anos, o qual é filho da mesma, este que passou a relatar para a equipe que sua mãe há dias não deixa seus filhos abrirem as portas e as janelas da residência, que a mesma faz tratamento pelo Caps e que a tempos ela vem sofrendo problemas de depressão, e que agora após o parto seu estado clínico piorou.

A equipe optou por adentrar a residência e verificar as condições em que encontravam-se as crianças, onde foi verificado que era insuportável o mal cheiro, fumaça de cigarro e o calor devido a casa estar totalmente trancada e com cobertas nas janelas.

Em um berço estava o bebe de 6 dias de vida, o qual estava totalmente sem cuidados, pois a mãe não encontra-se em condições de cuidar da criança causando certa preocupação na equipe.

Diante do exposto, o Conselho Tutelar foi acionado, bem como a tia das crianças a qual solicitou a presença da equipe policial, esta que ficou responsável pelas crianças.

A mãe se negava a acompanhar a irmã, para manter a amamentação do bebe, porém foi convencida da importância da amamentação e com certa resistência acompanhou a irmã.

Foi prestado apoio ao Conselho Tutelar na condução da mãe e das crianças até a residência de sua irmã, sendo então feito orientações quanto aos procedimentos posteriores.

Fonte: Nossa Gente

Nenhum comentário:

Postar um comentário