🔴 RÁDIO PULSAR - SUA RÁDIO CATÓLICA NO CENTRO DO PARANÁ

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Paraná - Vacinação vai começar ainda em janeiro, diz Ratinho Junior

A Fiocruz informou que o protocolo de uso emergencial da vacina contra a covid-19 será entregue à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta sexta (8). 

Assim, após a aprovação, o Paraná vai receber parte de dois milhões de vacinas que serão importadas do Instituto Serum. 

Trata-se de um dos centros da AstraZeneca para a produção da vacina na Índia. As doses deverão ser as primeiras aplicadas no País, junto com a Coronavac/Butantan.

De acordo com o governador Carlos Massa Ratinho Junior a vacinação no Paraná deve começar ainda em janeiro. 

Os primeiros da lista serão os profissionais de saúde e comunidades indígenas isoladas. 

Conforme ele disse, a campanha respeitará os critérios do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. 

Assim como também estarão incluídas as doses que ingressarem no Programa Nacional de Imunização (PNI). 

O anúncio ocorreu nessa quinta (7), em visita que o governador fez à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. 

Todavia embora o governador tenha dito que o Paraná está preparado, o Estado respeitará o calendário nacional. 

“O Paraná está pronto. Temos agulhas, seringas, praticamente dois mil pontos de vacinação e uma logística pronta para os imunizantes chegar nos municípios.

Para isso, ele destacou que a Secretaria de Estado de Saúde já trabalha esta estratégia em conjunto com as prefeituras e as regionais há bastante tempo. 

Conforme o governador o Paraná está se colocando à disposição para inclusive ajudar outros estados. 

FIOCRUZ 

A Fiocruz vai protocolar o pedido de uso emergencial da vacina. Entretanto, em paralelo, está encaminhando o processo do registro definitivo. 

Conforme a Fundação, o acordo com a farmacêutica inglesa prevê a disponibilização de 254 milhões de doses aos brasileiros nos próximos meses, sendo 210 milhões em 2021. 

De acordo com o Governo do Paraná, a distribuição será escalonada em dois milhões de doses em janeiro. 

Além de outros 4,5 milhões em fevereiro. Mais 20 milhões em março, 26 milhões em abril, e 59,9 milhões até julho. 

O restante virá no decorrer do segundo semestre. 

A previsão da entidade é de que toda a produção seja nacional até agosto.

DA REDAÇÃO/ MARIA FARIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário