segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

NESTE MÊS SEREMOS AGRACIADOS COM UM LINDO ESPETÁCULO NO CÉU, A ESTRELA DE NATAL

ESTE FENÔMEMNO OCORREU A ÚLTIMA VEZ A 800 ANOS ATRÁS
O ano de 2020 está sendo um ano muito difícil para todos, onde infelizmente além da pandemia ainnda outar tragédias tristes que aconteceram, mas nesse finalzinho de ano Deus está nos proporcionando um presente, que será privilégio da nossa geração que será agraciada com um dos espetáculos mais lindos no céu.

Neste dia 21 de dezembro, os planetas Saturno e Júpiter se alinharão em uma bela estrela brilhante, conhecida  como Estrela de Natal, ou Estrela de Belém, esta será a primeira vez que eles se alinham assim desde a Idade Média.

Segundo a Forbes , os dois planetas parecerão um “planeta duplo” e fornecerão uma quantidade extraordinária de luz. A última vez que esses dois planetas se alinharam assim foi em 4 de março de 1226, de acordo com o astrônomo Patrick Hartigan, da Rice University.

Este fenômeno é bastante raro, ocorrendo uma vez a cada 20 anos ou mais, mas essa conjunção é excepcionalmente rara por causa de quão próximos os planetas parecem estar um do outro. Você teria que voltar apenas para antes do amanhecer de 4 de março de 1226, para ver um alinhamento mais próximo entre esses objetos visíveis no céu noturno , disse Hartigan em um comunicado.

O alistamento espetacular poderá ser visto de qualquer lugar da Terra.

Os planetas aparecerão baixos no céu ocidental por cerca de uma hora após o pôr do sol, vistos do hemisfério norte, e embora eles estejam mais próximos em 21 de dezembro, você pode olhar todas as noites da semana. Embora a vista esteja afundando em direção ao horizonte, será brilhante o suficiente para ser visto no crepúsculo. Tudo o que você precisa é de uma vista desobstruída para o sudoeste e olhar para o sudoeste cerca de 45 minutos após o pôr do sol onde você está”, afirma Forbes.

Para capturá-lo no céu noturno, você precisará de um telescópio regular, no mínimo. Mas para uma visão mais clara, o telescópio de um astrônomo ou a alimentação de um telescópio universitário funcionariam melhor.

Alinhamentos como esses, chamados de “conjunções”, não são necessariamente raros, mas alguns deles são impossivelmente raros ou ocorrem apenas uma vez a cada centenas de anos. Os astrônomos especulam que a Estrela de Davi mencionada em Mateus era uma conjunção tripla excepcionalmente rara entre Saturno, Júpiter e Vênus. Um desses astrônomos foi Johannes Kepler, um dos maiores astrônomos de todos os tempos.

Fonte: portalpadom.com

Da redação/ Sandra Laciuk

Nenhum comentário:

Postar um comentário