terça-feira, 17 de novembro de 2020

Aplicativo Menor Preço ajuda a economizar nas compras de fim de ano


 
Ferramenta permite encontrar os estabelecimentos que cobram mais barato por um determinado produto num raio de até 20 quilômetros. Plataforma utiliza como base informações das 4,5 milhões de Notas Fiscais de Consumidor Eletrônica (NFC-e) emitidas diariamente, em média, no Estado

Muitos paranaenses ainda não sabem, mas o Paraná é pioneiro em criar uma solução que permite a todos os cidadãos comparar os preços de qualquer tipo de produto em estabelecimentos de sua cidade. O aplicativo Menor Preço, criado pela Secretaria da Fazenda e desenvolvido pela Celepar, já atingiu a marca de 1,35 milhão de downloads.

A ferramenta, um desdobramento do Nota Paraná, possibilita à população comparar quanto custa um mesmo produto em diversos estabelecimentos, e é uma ótima aliada para as compras de fim de ano. Com o aplicativo, disponível na web e nas plataformas Android e iOS, a consumidor pode pesquisar aproximadamente 29 milhões de preços de produtos, que são atualizados semanalmente por cerca de 100 mil estabelecimentos varejistas. A plataforma utiliza como base informações das 4,5 milhões de Notas Fiscais de Consumidor Eletrônica (NFC-e) que são emitidas diariamente, em média, no Estado.

Os preços são atualizados em tempo real, de acordo com os registros das notas. O consumidor pode consultar os valores em um raio de até 20 quilômetros, por meio do código de barras do item ou pelo nome do produto. Após selecionar o estabelecimento desejado, o aplicativo ainda disponibiliza um mapa com o caminho mais curto até o local.

O Menor Preço-Nota Paraná permite também a criação de listas para que o consumidor verifique onde cada produto de suas compras está mais barato. Com a lista salva, é possível procurar todos ao mesmo tempo. Essa opção, porém, só está disponível para quem possui cadastro no programa Nota Paraná.

BENEFÍCIO - Fã da ferramenta, a diretora do Procon-PR, Claudia Silvano, é também uma grande incentivadora de seu uso. “Recomendamos a todos os consumidores que procuram o Procon que baixem o aplicativo e façam uma busca antes de efetuar qualquer compra”, conta.

Para ela, o aplicativo é indispensável para quem quer economizar. “Agora para as compras de final de ano ele é muito útil, pois os preços oscilam bastante. Muitas vezes você pode achar produtos com valores totalmente diferentes na mesma quadra”, diz.

O presidente da Celepar, Leandro Moura, ressalta que o projeto dá ao cidadão um grande aliado para fazer compras, unindo tecnologia e economia. “Vale lembrar que, além das compras de final de ano, estamos próximos de uma Black Friday. Portanto, o cidadão deve utilizar essa ferramenta a seu favor”.

A coordenadora do Programa Nota Paraná, Marta Gambini, explica que toda transação comercial tem seu valor registrado e inserido no sistema do Menor Preço, independentemente de o consumidor colocar o CPF na nota ou não. “Esta é uma ferramenta de serviço, e por isso todas as vendas são registradas, de maneira que se possa saber de fato onde estão os menores e maiores preços num determinado local, naquele dia e horário”.

ENCONTRE O MENOR PREÇO - A interface do app é bastante simples. O primeiro passo consiste em informar o produto que você deseja buscar –  o que pode ser feito por nome, marca ou código de barras. Em seguida, o usuário recebe uma relação com os preços, em quais locais foram oferecidos e por qual loja. Após selecionar a qual estabelecimento deseja ir, a plataforma oferece opções de rotas. Também é possível compartilhar as ofertas encontradas pelo Menor Preço.

PRÊMIOS - Por seus benefícios e caráter inovador, o Menor Preço-Nota Paraná conquistou o Prêmio Excelência em Governo Eletrônico (e-Gov 2017) da Associação Brasileira das Empresas de TIC (Abep), e também o Top de Marketing, da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB-Seção Paraná).

A qualidade do serviço oferecido aos cidadãos pelo Menor Preço chamou a atenção também de outros estados e a Secretaria da Fazenda de Pernambuco contratou a solução junto à Celepar.

Fonte: AEN/PR

Da redação/ Sandra Laciuk

Nenhum comentário:

Postar um comentário