terça-feira, 14 de julho de 2020

Governador entrega 1ª fase do Hospital Regional de Guarapuava

Nova estrutura em Guarapuava, na Região Centro-Sul do Paraná, vai contar com 20 UTIs adulto e 60 leitos de enfermaria adulto para atendimento exclusivo de pacientes infectados pelo novo coronavírus, via Sistema Único de Saúde.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou nesta segunda-feira (13) a primeira fase das obras do Hospital Regional de Guarapuava, na Região Centro-Sul do Paraná. O complexo médico vai funcionar inicialmente para atendimento exclusivo de pacientes infectados pelo novo coronavírus.
O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou nesta segunda-feira (13) a primeira fase das obras do Hospital Regional de Guarapuava, na Região Centro-Sul do Paraná. O complexo médico vai funcionar inicialmente para atendimento exclusivo de pacientes infectados pelo novo coronavírus.
Serão colocadas à disposição da população neste momento 20 unidades de terapia intensiva (UTIs) adulto e 60 leitos de enfermaria, também adulto, para atendimento via Sistema Único de Saúde (SUS).
O investimento total por parte do Governo do Estado é de R$ 115,4 milhões. A expectativa é que a nova estrutura seja integrada à Central de Leitos do Estado a partir desta sexta-feira (17), começando a receber os primeiros pacientes.
“É uma satisfação muito grande entregar essa obra, que vai beneficiar toda a Região Central do Paraná. Justamente em um momento em que precisamos turbinar a oferta de leitos para enfrentar essa pandemia”, afirmou Ratinho Junior. “Um esforço grande, com profissionais trabalhando 24 horas por dia para colocar a estrutura à disposição dos pacientes com coronavírus”, acrescentou.
A área de atendimento será completamente isolada para que as obras de implantação da segunda fase do Hospital Regional do Centro-Oeste, prevista para 2021, não sejam interrompidas. Quando concluídas, a capacidade total do centro médico será de 30 leitos de UTI adulto e 80 leitos de enfermaria clínica.
Após a pandemia, a estrutura de Guarapuava atuará como referência para Urgência e Emergência, com perfil direcionado à ortopedia e trauma, cirurgia geral e clínica médica, beneficiando 20 municípios da região. “É mais um passo na regionalização da saúde no Estado, levando atendimento de qualidade para perto dos municípios”, disse o governador.
RETOMADA – Secretário de Estado da Saúde, Beto Preto explicou que a construção do hospital foi retomada em 2019, no início da gestão Ratinho Junior, e acelerada neste ano por causa da pandemia da Covid-19. Inicialmente, o prazo previsto para entrega da obra era o primeiro trimestre de 2021.
Ele destacou que uma força-tarefa foi designada para entregar o hospital em tempo recorde. “É um dia histórico. Encontramos a obra com diversos problemas administrativos em 2019 e tivemos de superar a todos. A virtude desse governo é não deixar obra pelo caminho, independentemente de quem começou a executá-la. O esforço do Estado é grande, investimentos que permitem salvar vidas”, ressaltou Beto Preto.
Segundo ele, em 120 dias foram credenciados perto de 900 leitos de UTI adulto no Paraná para ajudar no combate ao Covid-19.
LEITOS – Até então, destacou o prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri Filho, os atendimentos relacionados à doença estavam concentrados no Hospital São Vicente, que é filantrópico. A estrutura dispõe de 10 leitos de UTI dedicados para casos de Covid-19. “A entrega desse hospital é um sonho realizado para a cidade de Guarapuava”, disse ele. “A oferta de UTI na cidade será multiplicada por três”, acrescentou o governador Ratinho Junior.
GESTÃO – O Hospital Erasto Gaertner, de Curitiba, é quem vai administrar a nova estrutura de Guarapuava pelos próximos seis meses. O investimento estimado para a manutenção dos leitos para Covid no período é de pouco mais de R$ 23,2 milhões. 139 profissionais foram contratados para atuar no centro médico. “Sexta-feira (17) o hospital abre as portas definitivamente para receber os primeiros pacientes”, afirmou Beto Preto.
ESTRUTURA – O projeto de construção do Hospital Regional de Guarapuava começou a sair do papel em 2015. Porém, logo a obra foi paralisada, sendo retomada apenas no primeiro semestre de 2019, já na gestão de Ratinho Junior.
No complexo de 17 mil metros quadrados de área foram investidos R$ 61,7 milhões apenas na construção da edificação, com recursos do Fundo Estadual da Saúde. Outros R$ 30,49 milhões foram usados na compra de equipamentos. Por fim, mais de R$ 23,28 milhões foram aplicados na abertura dos leitos Covid, totalizando R$ 115,4 milhões.
INFECÇÃO – De acordo com o mais recente boletim, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde no domingo (12), o Paraná tem confirmados 42.058 casos de coronavírus, com 1.028 mortes.
Em Guarapuava são 268 casos confirmados, 152 pacientes recuperados e três óbitos.
HOMENAGEM – O Hospital Regional de Guarapuava foi batizado com o nome do ex-deputado estadual Bernardo Ribas Carli, morto em um acidente aéreo em 2018 aos 32 anos.
MAIS HOSPITAIS – O Governo do Estado colocou em funcionamento nas últimas semanas outros dois hospitais regionais. Eles já estão operando em Ivaiporã, no Vale do Ivaí; e em Telêmaco Borba, nos Campos Gerais.
O Hospital Regional de Telêmaco Borba disponibilizou 40 novos leitos, sendo 10 de UTI e 30 de enfermaria. Já o de Ivaiporã acrescentou até 20 leitos de UTI e até 60 leitos de enfermaria.
PRESENÇAS – Participaram da solenidade os secretários Guto Silva (Casa Civil) e Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo); o diretor-geral da Paraná Edificações, Lucas Pigatto; o diretor-presidente da Esporte Paraná, Helio Wirbiski; os deputados estaduais Artagão Júnior, Alexandre Curi e Cristina Silvestri.
Fonte: AEN/PR
Da redação/ Sandra Laciuk

Nenhum comentário:

Postar um comentário