segunda-feira, 1 de junho de 2020

Pai e filha morrem após trem atingir carro em Ipiranga


Pai e filha morreram em um acidente na estrada rural da localidade de Santana, em Ipiranga, na tarde de domingo, 31. 

Segundo informações, o veículo Fiat Uno teria desligado em cima da linha férrea. Em seguida, ele foi atingido por um trem, que arrastou o carro.

A composição tinha 115 vagões e estava carregada com soja. O trem saiu de Londrina em direção a cidade de Rio Negro, na Região Metropolitana de Curitiba. 

Já o Uno era ocupado por quatro pessoas. A condutora Elaine de Fátima Lovato Schimidt, 32, e seu pai, João Batista Lovato, de 62 anos, morreram no local. Isabel Lovato Vandoski, de 60 anos, não necessitou de atendimento médico. 

Ela disse a Polícia Militar que o carro falhou ao fazer a travessia. Conforme informações, Isabel afirmou que todos os ocupantes do automóvel ficaram sem reação. Por isso, somente ela desceu e tentou empurrar o Uno, mas não conseguiu retirá-lo do local.

Já Jeferson Schimidt, de 34 anos, sofreu ferimentos leves e foi levado para o hospital de Ipiranga. Bombeiros de Ponta Grossa auxiliaram no resgate das vítimas. 

O trem ficou parado na linha férrea impossibilitando a passagem de veículos.

Os corpos de pai e filha foram encaminhados ao Instituto Médico-Legal (IML) de Ponta Grossa. João Batista residia na localidade de Santana, em Ipiranga. Já Elaine morava em Imbituva. 

Os dois estão sendo velados na Capela Municipal de Ipiranga e serão sepultados nesta segunda-feira, 1, no Cemitério Municipal de Ipiranga.

Em nota, a Concessionária Rumo lamentou o acidente e informou que a condutora do carro tentou atravessar a linha férrea no momento que o trem se aproximava. 

No documento, a empresa diz que o maquinista realizou os procedimentos de segurança, como acionar a buzina e os freios de emergência, mas não conseguiu evitar a batida. 

A concessionária também disse que a travessia é sinalizada e que na linha férrea os motoristas devem parar e aguardar a passagem do trem.

Fonte: G1


DA REDAÇÃO/ MARIA FARIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário