quarta-feira, 13 de maio de 2020

Situação de epidemia por dengue em Foz do Jordão


228 municípios paranaenses estão em situação de epidemia de dengue. No novo informe, são 10.289 novos casos em relação ao anterior.

Nesta terça (12) o boletim semanal da dengue divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde deixou os moradores de Foz do Jordão assustados. 

A cidade, que fica na Região de Guarapuava, acabou de entrar em situação de epidemia, junto dela estão Apucarana, Congoinhas, Planalto e Jundiaí do Sul.  

A taxa de incidência leva em consideração os municípios com mais de 300 casos por 100 mil habitantes.

No Paraná, 228 municípios estão em situação de epidemia já são 132 mortes desde julho do ano passado. 

São 303.548 notificações para a dengue em todas as regiões do Estado. O boletim totaliza dados de julho de 2019 até esta segunda (11). 

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, alerta que a dengue mata e que os números confirmam a gravidade da situação. 

“Alertamos a população para ações de combate à doença com a eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti, pois os principais focos de transmissão estão nos domicílios e precisamos da participação de todos neste controle”. 

CURVA DE REDUÇÃO 

De acordo com análise das quatro últimas semanas (semanas epidemiológicas 16 a 19), essa tendência de redução pode ser avaliada em pelo menos 167 municípios. 

A coordenadora de Vigilância Ambiental da Sesa, Ivana Belmonte, explica a situação. “Na maioria dessas cidades atuamos em parceria com as secretarias municipais de Saúde, realizando mutirões técnicos para eliminação dos criadouros”. 

Segundo a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da secretaria estadual, Maria Goretti David Lopes, isso não quer dizer que as cidades não têm mais circulação do vírus. 

“A redução mostra que a eliminação manual dos criadouros, aliada a outras técnicas de combate, pode reduzir o número de casos”. 

E, neste momento, com as ações de campo restringidas em função do controle da Covid-19, contamos principalmente, com o apoio de cada paranaense na verificação de sua casa.

 Assim, eliminando todo recipiente que possa acumular água, nos ambientes internos e externos, como em vasos de plantas, calhas, pneus parados, vasilhames destampados, entre outros.

De acordo com ela, os números mostram que ainda existe um desafio muito grande pela frente e a cooperação de cada cidadão é fundamental.


DA REDAÇÃO/ MARIA FARIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário