quarta-feira, 6 de maio de 2020

GUARAPUAVA: DENUNCIA DE PERTUBAÇÃO DE SOSSEGO RESULTA EM GRANDE CONFUSÃO

Perturbação do Sossego AlheioNo dia 05 maio, às 21h30min, na Rua Simeão Varela de Sá, Vila Carli, a equipe deslocou para realizar atendimento de ocorrência de ameaça, onde segundo a solicitante de 30 anos, seus vizinhos estariam embriagados em via pública, causando algazarras, que no momento a mesma se encontrava na parte de baixo do prédio, que reside, uma mulher de 27 anos, que começou a ameaçá-la e proferir palavras de baixo calão. 

No local os autores não se encontravam, porém durante confecção do boletim, a vítima apenas queria o registro da situação, os autores retornaram ao local, em visíveis sinais de embriaguez e muito alterados, de começo indagaram a equipe quanto o porquê da polícia estar no local, sendo então orientados os mesmos a irem para suas casas, os quais de começo acataram a orientação, porém após curto período de tempo os autores retornaram, e um indivíduo de 45 anos, passou a se identificar como advogado, juntamente com sua esposa que iniciou uma discussão com a vítima, investindo contra a mesma, tentando empurrá-la, momento este que foi contida por um soldado, com técnicas de imobilização. A mulher resistiu desferindo socos, chutes e arranhões, causando lesão no policial. 

Diante disto foi realizada a contenção da mulher a qual desacatou os policiais, proferindo ameaças e diversas palavras de baixo calão. A equipe solicitou a presença do Oficial CPU, o qual chegou no local em seguida. 

O indivíduo de 45 anos ainda alterado, se identificando como sendo advogado, começou a questionar a atitude da Polícia Militar e em determinado momento, desacatou o Oficial CPU. 

Foi acionada a equipe ROTAM para prestar apoio na situação, para revista pessoal na mulher, bem como conduzí-la até o camburão da viatura. 

Diante dos fatos a equipe realizou a condução dos autores até a 14ªSDP, para os procedimentos necessários. 

Durante a confecção deste boletim na delegacia, o indivíduo disse que amigo de um Delegado de Polícia, da corregedoria e continuou insultando o Oficial CPU, ainda com diversos desacatos e ainda dizendo que iria representar a sua esposa como advogado, fato incompatível com o estatuto da OAB, conforme lei nº 8906/94, art 34 parágrafo único, tendo em vista estar com visíveis sinais de embriaguez, odor etílico, fala enrolada, olhos avermelhados e desordem nas vestes. 

Foi oferecido o teste etilométrico ao indivíduo, porém foi recusado. A mulher alterada continuou a discutir com as equipes, insultando também policiais da Polícia Civil. 

Diante dos fatos a mulher foi informada que responderia por ameaça, calúnia, desacato, desobediência, resistência e lesão corporal e o homem por desacato, embriaguez, injúria racial e tráfico de influência. 

Entrado em contato com a representante da seccional OAB de Guarapuava, a qual foi informada da situação e compareceu na delegacia. Na 14ªSDP, o homem a todo tempo gritava com os policiais e desacatava as equipes, causando agitação, juntamente com sua mulher, perturbando o trabalho da polícia militar e civil. 

Fonte: Setor de Comunicação 16° Batalhão

Da redação/ Sandra Laciuk


Nenhum comentário:

Postar um comentário