quinta-feira, 2 de abril de 2020

Polícias Civil e Militar impedem início de motim na cadeia de Guarapuava


As Polícias Civil e Militar impediram na madrugada desta quinta (2), um princípio de motim dentro da carceragem da cadeia pública de Guarapuava. 

Conforme a Polícia Civil, por volta das 3h30 da manhã, iniciou-se um tumulto na cadeia, um princípio de motim. 

O tumulto durou cerca de uma hora e foi contido após intervenção das Polícias Civil e Militar. 

De acordo com a PC, foi necessário efetuar disparos com munições anti-motim. Conforme a Polícia Civil, não houve fuga nem preso ferido. 

De acordo com a Polícia Militar, o tumulto foi causado por uma uma detenta gestante. 

Ela teria solicitado atendimento, e as presas alegaram demora e começaram a bater as grades. 

Não há informação sobre danos causados na carceragem. Ainda conforme a PM, policiais militares fizeram patrulhamento na área externa da cadeia pública, e a situação foi controlada pela Polícia Civil. 

Por fim, conforme a PC, não foi registrado boletim de ocorrência. A situação consta apenas no relatório do plantão. 

Entretanto, conforme a PC, caso os agentes da carceragem observem que houve dano no interior da cadeia, haverá informação para que seja registrado boletim de ocorrência de dano ao patrimônio público. 

A idade da presa grávida e o estado de saúde dela não foram informados.

DA REDAÇÃO/ MARIA FARIAS

Fonte: RSN


Nenhum comentário:

Postar um comentário