quarta-feira, 8 de abril de 2020

Paciente com suspeita de Covid-19 ataca equipe médica e tenta morde-los em UPA de Curitiba


Um paciente atacou um médico, enfermeiros e a Guarda Municipal, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas do Sítio Cercado em Curitiba.

O fato foi registrado na manhã desta quarta-feira (8), quando o paciente com suspeita de Covid-19 deu entrada na UPA. 

De acordo com relato das equipes de plantão, após dar entrada, foi coletado material para que fosse feito o exame para constatar se o paciente realmente estava com o vírus.

Em seguida as equipes conseguiram uma vaga para ele ser transferido para um hospital. Ao receber a notícia que seria transferido, o paciente se levantou e disse que não iria a lugar algum. 

A equipe de enfermagem tentou acalmar o paciente dizendo da necessidade de tratamento, porém o paciente continuava relutante, se negando a ir. 

Os enfermeiros então pediram ajuda para um médico, porém o paciente se levantou, colocou os sapatos, arrancou o cateter de oxigênio e ficou muito agressivo. 

As equipes de plantão tentaram acalma-lo, explicando que ele não podia sair por conta do risco, e o paciente respondeu que ninguém irá segura-lo. 

Neste momento uma das mãos do paciente já estava com sangue pingando, devido o fato dele ter retirado o cateter. 

O paciente então com a mão sangrando desferiu um soco em um médico que acabou ficando ferido, sujo com o próprio sangue e o sangue do paciente. 

Fora de controle e com as mãos com sangue, o paciente começou a balançar os braços para que seu sangue atingisse toda a equipe médica de plantão e os socorristas do Samu.

Dois guardas municipais chegaram de apoio e tentaram conte-lo. O paciente então tentou morder todos que estavam próximos. Não conseguindo morder, ele começou a cuspir nos guardas municipais e na equipe médica.

O paciente foi algemado e contido e aguardava para ser transferido para o Hospital Evangélico de Curitiba.

As equipes realizaram um pedido de providência mediante a gravidade do caso.

A denúncia do fato foi divulgada na tarde desta quarta-feira (8) pelo Sindicato dos Médicos do Estado do Paraná (SIMEPAR) em sua rede social.

Fonte: G1

DA REDAÇÃO/ MARIA FARIAS


Nenhum comentário:

Postar um comentário