quarta-feira, 24 de abril de 2019

Polícia Civil diz que Kauane teria sido morta por prato de comida em São Paulo

O morador de rua suspeito de assassinar a menina Kauane Christhiny Soares Rodrigues, de seis anos, em Mongaguá, no litoral de São Paulo.

Disse em depoimento à polícia que matou a criança por causa de um prato de comida.

A informação foi revelada por Francisco Venceslau, delegado do 2° DP de Mongaguá. "O suspeito informou que mais cedo (à morte), durante confraternização na casa da vítima, a família de Kauane teria lhe negado um prato de comida".

Segundo Venceslau, a história contada pelo morador de rua "tem nexo" e "faz sentido". "Vamos, agora, confrontar com provas tudo o que ele tem dito." a família de Kauane, conta o delegado, nega "qualquer discussão".

Com ajuda de cães farejadores, a polícia encontrou na noite desta segunda-feira (22) o corpo da menina seminu com marcas de estrangulamento em uma vala, numa região de mata próxima à casa onde a criança morava com a mãe e o irmão.

Abuso sexual

Exames preliminares do IML (Instituto Médico Legal) indicaram lesões nas partes íntimas da menina Kauane. 

De acordo com os policiais já dizem, com base nesses laudos iniciais, que a criança sofreu abuso sexual. 

O delegado, por sua vez, informou que o suspeito nega ter estuprado a criança.

Vídeo mostra homem carregando menina Kauane antes de matá-la

Da Redação/Maria Farias

Fonte: R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Ouça a Impactus FM