terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

EMOÇÃO; EMPRESÁRIO CATARINENSE DESCOBRE QUE SEU FUNCIONÁRIO ERA SEU IRMÃO DESAPARECIDO

Uma historia digna de novela, ou filme, chamou a atenção da cidade de Blumenau em Santa catarina, onde um empresário descobriu que seu funcionário era o irmão que ele procurava a muitos anos.

A vida do empresário Antônio Nunes de 35 anos, mostrou que nem o tempo nem as adversidades da vida conseguem distanciar para sempre laços que são unidos pelo sangue.

Segundo Tonho do gás, como é conhecido em toda a região em que ele reside, cresceu sabendo que tinha dois irmãos perdidos em Blumenau, pois sua mãe entregou os filhos para adoção no ano de 1980, devido o fato de não ter condições de criá-los. Por ser o mais velho Tonho ficou com a avó.

Esta que contou a história da família para o neto, porém, a única informação concreta  que o empresário tinha, era a data de nascimento dos rapazes, nem mesmo os nomes dos irmãos ele sabia, pois apesar de manter contato com sua mãe biológica, ele nunca teve a proximidade e intimidade suficientes, para entrar no assunto dos seus irmãos, de forma mais detalhada.

O irmão do meio, Jefferson Greueli, de 34 anos foi mais fácil reencontrar, pois após o falecimento de seu pai, sua mãe adotiva, contou-lhe toda a sua historia e ele foi em busca da família biológica.

Juntos, os dois irmãos iniciaram a busca pelo caçula, porem apenas com a unica pista que ambos tinham, a data de seu nascimento,  com isso tentaram conseguir mais informações no sistema público de adoção, mas os esforços foram em vão, pois  processo havia sido informal.


Tonho então, lembrou que conhecia a mulher que segundo o que sua vó lhe contou, teria sido a responsável por intermediar a relação entre a mãe biológica e a família adotiva.
 Procurou então  a cabeleireira, mas ela já não tinha contato com o casal, apenas lembrava o nome do pai adotivo, qual se chamava, João, mas um detalhe impossível de se tornar uma evidencia, pois no mundo exitem tantos, Joãos por aí.
Mas aí então apareceu uma luz no fim do túnel, pois esta senhora relatou que havia encontrado o irmão que eles procuravam, numa seção de votação do Cedup na eleição do ano  de 2016, ou seja, ele ainda morava em Blumenau, provavelmente, na região da Escola Agrícola.
Apesar da esperança renovada, o tempo passou e os irmãos não se reencontraram.
Mas como dizem por aí, o destino sempre é caprichoso. Como citado anteriormente, Antonio é dono de uma revenda de gás, e em uma de suas muitas entregas conheceu Maicon Luciani, 30 anos, conferente de uma empresa cliente. E então após quase uma década encontrando-se regularmente, os dois viraram amigos.
Mas a melhor parte da historia começava no final do ano passado, onde Tonho viu em uma postagem no Facebook que o amigo procurava por um emprego, então ele decidiu oferecer uma vaga em sua empresa, o qual aceitou de imediato, e iniciou se trabalho, já no inicio do mês de janeiro deste ano.
Em mais um emocionante capitulo da novela da vida real, na semana passada, o empresário precisou viajar a Araucária (PR) para buscar um funcionário. 
Convidou  Maicon para ir junto e conhecer toda a operação do engarrafamento e carregamento de gás, como sempre costuma fazer com os empregados novos.
Durante a viagem, algo chamou a atenção de Tonho pois ele notou que Maicon tinha um cacoete parecido com o de um tio; ele pegava no sono sem perceber, então o amigo brincou com Maicon  dizendo que eles poderiam ser parentes distantes.
Na viagem de volta, na quinta-feira (14), os dois amigos e o funcionário que estava no Paraná, conversavam sobre a historia de vida dos três.
Tonho não havia mencionado que procurava um irmão, porém, Maicon comentou que o sobrenome de sua família biológica era Nunes.
Tonho olhou para o outro funcionário, que já conhecia a sua história, e ambos estáticos,  chegaram à mesma conclusão. 
Sem perceber o que estava acontecendo, Maicon começou a contar detalhes de sua trajetória, inclusive que sua  adoção havia sido intermediada por uma cabeleireira que trabalhava na antiga rodoviária.
“Nesse momento eu olhei pra ele e falei: ‘Gordo, tu és meu irmão, cara’. E ele achou que eu estava louco. Eu perguntei: ‘O nome do teu pai não era João? Tu não conheceu a cabeleireira no Cedup no dia das eleições?’ sim, disse ele, e ai tudo se encaixou. Conta Antonio Nunes.
Segundo Maicon, só quando o irmão deu todos os detalhes   foi que ele acreditou nesta possibilidade.
Eu sabia que tinha dois irmãos e uma mãe, mas nunca fui atrás. Descobrir que meu chefe é meu irmão foi um susto muito grande”, relembra Maicon.
Então, ansiosamente Tonho ligou para Jefferson, o irmão do meio, a mãe adotiva de Maicon apresentou sua certidão de nascimento que declarou tudo o que ainda havia em duvida, e assim a família ficou completa.
Entre muitas conversas, eles descobriram que tem vários amigos em comum, também que Tonho sempre viveu na Vila Nova, enquanto Maicon estava bem ao lado, na Escola Agrícola.
 No fim de semana seguinte,a família fez o primeiro churrasco, para celebrar a união, e juntando os laços, que se distanciaram durante muitos anos.
Da redação/ Sandra Laciuk
Informou:


Nenhum comentário:

Postar um comentário