quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Ladrões invadem casa, apanham e morador é que acaba preso por tortura em Curitiba


O choro desesperado de uma mulher em frente à Central de Flagrantes, em Curitiba, na manhã desta quinta-feira (6), chamou a atenção. 

Poliana Vilela, de 35 anos, chorava de raiva, de revolta, sem acreditar no que havia acontecido. 

A casa dela, no bairro Hauer, foi invadida por dois ladrões nesta madrugada e quem foi para a cadeia foi o marido dela, Silvano Rogério Weber, de 35 anos. O motivo? Tortura, após ele ter agredido os dois ladrões. 

Estes, para aumentar a revolta da família, foram soltos logo em seguida. E com um detalhe: assim que saíram, voltaram para a mesma casa para buscar a bicicleta que tinham deixado.

Chorando muito, a moradora contou que por volta da 1h30 eles notaram que ladrões haviam entrado no quintal da residência e levado uma bicicleta. O marido e proprietário da casa ficou acordado imaginando que poderiam voltar. Dito e feito. Voltaram.

“Uns 20 minutos depois eles voltaram para roubar mais, imaginamos. Logo que entraram, meu marido entrou em luta com eles. Eles brigaram muito e foram pro lado de fora. 

Ao mesmo tempo, a gente chamou a polícia que conseguiu prender os dois a alguns metros de casa, ainda com meu marido lutando com eles. 

Daí, pra garantir o Boletim de Ocorrência, meu marido foi no carro dele até a central de Flagrantes. Chegando lá, o delegado prendeu meu marido por tortura e soltou os ladrões. 

É inacreditável. Que justiça é essa?”, disse a vítima.

E não é que voltaram?

Nesta manhã, enquanto tentava libertar o marido na Central de Flagrantes, Poliana soube que os ladrões tinham voltado na casa dela assim que saíram da delegacia. Eles voltaram para minha casa pela terceira vez para assaltar. 

Meu Deus! Que mundo estamos? Meu marido, que acorda as 5 horas da manhã para trabalhar até as 10 horas da noite, está aqui preso e os bandidos, que assaltaram, são soltos e voltam pra assaltar minha casa? Meu marido foi defender a mim e ao nosso filho. Quero meu marido de volta, disse, desesperada, a moradora.

Nova prisão

Uma viatura do BOPE chegou com um dos ladrões, preso novamente por voltar à casa das vítimas no Hauer. O outro suspeito fugiu.

O rapaz disse aos policiais que voltou para buscar as bicicletas que tinham deixado lá no momento em que foram presos. Como estava com algumas escoriações por causa da briga da madrugada, a delegada de plantão decidiu que, antes da nova prisão, ele deveria ir até a um hospital para atendimento.

Delegado

A prisão de Silvano Weber e a libertação dos suspeitos foram determinadas pelo delegado de plantão Fabio Machado. Pela manhã, ele já havia saído da delegacia e a delegada de plantão não quis gravar entrevista.

O delegado Machado, apenas informou que a Polícia Civil vai se manifestar por meio de uma nota oficial, que foi enviada durante a tarde.

A Polícia Civil informa que em relação a uma dupla conduzida à Central de Flagrantes, na madrugada desta quinta-feira (06/12) suspeita de furtar uma bicicleta no quintal de uma residência, no bairro Hauer, os indivíduos não permaneceram presos pois não havia qualquer prova em relação a autoria do fato por parte dos conduzidos.

Em relação a prisão em flagrante de Silvano Rogério Weber, 35 anos, a polícia informa que ele foi preso suspeito por torturar a dupla conduzida à delegacia, fato confessado pelo próprio Weber. 

Ele ainda teria se passado por policial fazendo menção de estar armado, durante a abordagem.

Vale alertar a população que as leis são cumpridas, por isso é importante que as vítimas chamem a Polícia Militar no momento de qualquer crime, sem tentar resolver de maneira pessoal, reagindo ou agredindo o suposto criminoso.

Da Redação/Maria Farias

Fonte: Banda B


Nenhum comentário:

Postar um comentário