segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Pai, mãe e três filhos morrem em queda de avião em Alto Paranaíba


Cinco pessoas da mesma família morreram após a queda de um avião de pequeno portenas proximidades de Patos de Minas, no Alto Paranaíba, na manhã deste domingo (4).  
De acordo com o Corpo de Bombeiros, o piloto da aeronave, Marcos Nogueira Chagas, 45 anos, e a mulher dele, Carla Giannine Pereira Medina, 44 anos, eram médicos radiologistas em Brasília e costumavam voar aos fins de semana. As outras vítimas da tragédia são os três filhos do casal, de 7, 10 e 13 anos.
Os corpos ficaram presos aos destroços da aeronave e a Aeronáutica e a perícia da Polícia Civil foram acionadas para comparecer ao local do acidente. 
O avião particular, prefixo PR-ZMZ, caiu quando o piloto tentava aterrissar no Aeroporto de Patos de Minas, que fica distante quatro quilômetros da área urbana. 
A aeronave caiu numa fazenda perto ao aeroporto, que não tem equipamentos de controle de voo, contando somente com a pista de pouso.  O avião acidentado decolou de Brasília e fazia um voo experimental.  A queda da aeronave aconteceu por volta das 11h. Segundo os registros da Aeronáutica, o avião pertence a Marcos Chagas e estava em situação regularizada, mas ainda em condição "privada experimental". 
O médico também foi registrado como operador da aeronave, fabricada em 2013. Por meio de nota, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) informou que ainda vai averiguar as causas da queda do avião. 
Segundo o Cenipa, os primeiros trabalhos da apuração - a chamada “Ação Inicial da ocorrência" - serão feitos por investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III). 
O trabalho corresponde à coleta de dados - "fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos", informou a Aeronáutica. Ainda não foi definido prazo para divulgação do resultado da investigação.
Da Redação/Maria Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário