terça-feira, 5 de junho de 2018

Lula depõe como testemunha de Cabral por videoconferência, direto da sede da Polícia


Em depoimento por cerca de 50 minutos ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que "não acredita que hoje um brasileiro esteja mais em busca da verdade do que ele".

Lula depôs por videoconferência, direto da sede da Polícia Federal, em Curitiba - onde está preso há quase dois meses -, como testemunha de defesa do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), condenado a 100 anos de reclusão na Lava Jato e desdobramentos.

O ex-presidente que aparentemente está mais magro e abatido, depôs no processo em que o emedebista é acusado de ligação com esquema de compra de votos para eleger o Rio sede da Olimpíada de 2016.

No início da audiência, o juiz Marcelo Bretas, que preside a ação, prestou condolências ao petista pela morte de sua mulher Marisa, ocorrida em fevereiro de 2017.

Em seu depoimento, Lula negou que tenha "relação íntima" com Cabral. "Senhor Bretas, meu compromisso é com a verdade", afirmou o ex-presidente ao magistrado, dizendo, então, não acreditar que qualquer brasileiro esteja mais em busca da verdade do que ele.

Lula, condenado na Operação Lava Jato a 12 anos e um mês de prisão no processo do triplex do Guarujá (SP), disse que "está cansado de mentiras". "Quero a verdade", repetiu.

Da redação/Maria Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário